Páginas

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Notícias de Campo


Publicado em 29/04/2010
Jornalistas cristãos são assassinados
Os assassinatos de cristãos em Jos, Estado de Plateau, Nigéria, continuou durante o fim de semana com a morte de dois jornalistas e cinco civis.
Nathan S. Dabak, editor assistente de um jornal da Igreja de Cristo na Nigéria (COCIN), chamado The Light Bearer, e Sunday Gyang Bwede, repórter da publicação, foram esfaqueados no sábado, 24 de abril, em Gado-Bako, Norte de Jos.
“A equipe da Igreja foi assassinada a sangue frio por alguns jovens muçulmanos. Isso está claro porque eles usaram os celulares dos jornalistas e divulgando que foram eles quem cometeram o assassinato”, conta o pastor Pandang Yamsat, presidente da COCIN.

Os jovens muçulmanos atenderam os telefonemas nos celulares dos jornalistas descaradamente. Quando um amigo de Dabak ligou, alguém atendeu ao telefone e disse: “Nós os matamos – pode se lamentar!”.

Dabak, de 36 anos, e Bwede, de 39, saíram do escritório no domingo pela manhã e se dirigiam para uma entrevista a um político local, Bulus Kaze, quando se depararam com os jovens muçulmanos.

A Igreja iniciou as buscas pelos jornalistas no mesmo dia, mas não encontraram seus corpos até o meio-dia de domingo no necrotério do Hospital Universitário de Jos. O pastor afirma que a Igreja estava ansiosa, esperando pelos resultados da investigação policial.

“A equipe de segurança da igreja está em contato com a polícia, mas eles ainda não tiveram nenhum progresso.”

O funeral dos jornalistas está marcado para sexta-feira, 30 de abril.

“A Igreja ainda está lamentando a morte de nossos pastores, mortos em Boto, Estado de Bauchi”, diz Pandang, fazendo referência ao sequestro e assassinato do pastor Ishaku Kadah, 48, e sua esposa Selina, 45. “É muito triste que os membros da igreja tenham que enfrentar outro assassinato”.


Cristãos são agredidos por fanáticos hindus



Fanáticos hindus atacaram quatro cristãos, incluindo um policial, em Bhilai, Chhatisgarh. De acordo com fontes, o grupo de cristãos da Brethren Assembly estava distribuindo materiais cristãos em uma rua de Bhilai quando jovens hindus os atacaram. Os cristãos ficaram feridos com cortes e machucados em todo o corpo.

A questão foi levada à polícia local, que chegou ao local imediatamente e conduziu os dois grupos para a delegacia, instruindo os cristãos a não distribuírem material cristão. Depois de um tempo, um grupo de integrantes do Rashtriya Swayamsevak Sangh (militantes hindus) foi até a delegacia para prestar queixa de conversões forçadas contra os cristãos, que foram atacados.

Quando soube sobre o ataque, G. Samuel, um policial cristão, foi até o local. Então, ele também foi preso sob falsas acusações de conversão forçada. Os hindus também disseram que foram agredidos pelos cristãos.

A comunidade cristã em Bhilai está trabalhando para libertar os cristãos.


Cristãos são agredidos e aprisionados em templo budista


Integrantes de um grupo armado rebelde e seus simpatizantes estão mantendo três cristãos cativos em um templo budista no sudeste de Bangladesh depois de agredir os cristãos em uma tentativa de forçá-los a retornar para o budismo.
Presos desde o dia 16 de abril estão o pastor Shushil Jibon Talukder, 55, Bimol Kanti Chakma, 50, e Laksmi Bilas Chakma, 40, da Igreja batista Maddha Lemuchari, no vilarejo de Lemuchari. Eles deverão ficar presos por 15 ou 20 dias como punição por terem abandonado o budismo.
Os budistas locais são considerados poderosos, pois têm ligações com o United Peoples Democratic Front (Frente democrática dos povos unidos, UPDF), um grupo armado.
Depois de prender os cristãos no dia 16 de abril, os budistas armados forçaram outros cristãos da igreja batista a demolir o templo com suas próprias mãos. Antes, os extremistas confiscaram todos os cobertores, Bíblias e hinários da igreja.
As fontes disseram que dois integrantes do UPDF foram até a casa do pastor Talukder na manhã do dia 16 de abril, dizendo para que ele fosse até a casa de um líder budista em um vilarejo próximo. Eles também pediram que os membros da igreja fossem até sua casa, e cerca de 15 cristãos o fizeram.

Após uma pequena disputa, os budistas escolheram o pastor e outros dois cristãos e começaram a agredi-los, ferindo gravemente o pastor. Então, eles levaram os cristãos a um templo budista próximo para realizar um batismo, raspar a cabeça e vesti-los em túnicas amarelas como parte do ritual de conversão.

As fontes disseram que o pastor Talukder foi espancado quase até a morte.

“O pastor foi tão agredido que ele não conseguia caminhar até o templo. Os budistas o levaram a uma esteira de madeira, que é utilizada para carregar um corpo para o enterro ou cremação.”

O pastor Talukder foi tratado no templo com injeções intravenosas e hipodérmicas que salvaram a vida dele.

O chefe de distrito Sona Ratan Chakma disse que “três budistas renegados” estão sendo mantidos no templo budista por falta de doutrina religiosa.

“Eles se tornaram cristãos, e estão quebrando as regras e costumes da sociedade budista, então os anciãos ficaram bravos com eles. Por isso que eles foram enviados para o templo por 15 ou 20 dias. Para que eles possam retornar ao budismo.”

Chakma disse que os cristãos não foram torturados, mas foram punidos proporcionalmente à gravidade de seu “desvio social”.

“Eles foram punidos para que recuperem seu bom senso”, afirma Chakma.

Centro de ensino cristão é atacado



Milhares de extremistas muçulmanos atacaram um centro educacional em Bogor, província de Java Ocidental, Indonésia. O ataque resultou em três carros destruídos e diversos edifícios danificados ou incendiados. A ira dos fundamentalistas foi encorajada pelo Conselho de Ulemas (doutores da religião e leis islâmicas), por rumores sem fundamento de que a comunidade cristã BKP Penabur estava planejando construir “um templo” na região.

Os ataques contra a comunidade cristã em Bogor continuam, aliados à impotência das autoridades indonésias que não conseguem impedir a violência de cunho religioso. Na manhã de ontem, milhares de extremistas muçulmanos atacaram e incendiaram o centro da Fundação Penabur BKP, apesar da guarda policial no local.

Os fundamentalistas destruíram e queimaram três carros e parte dos 10 edifícios que formam o complexo cristão. A ira dos muçulmanos foi despertada pelos rumores de que os líderes da fundação queriam construir uma capela. Os comentários eram infundados, mas foram o suficiente para incitar a multidão. Fonte locais afirmaram que os agressores eram “pessoas dos sub-distritos vizinhos de Cisaura e Ciawi”.

A polícia, que não conseguiu impedir o violência, prometeu justiça. Seis pessoas foram presas e levadas para interrogatório. “Se alguma dessas pessoas for responsável pelos ataques, não hesitaremos em prendê-los”, afirma Tomex Kurniawan, chefe de polícia da cidade de Bogor.

Fonte: Missão Portas Abertas

3 comentários:

celda disse...

gostaria muiiiito de ir ao encontro dessa semana,mas infelismente não posso,mesmo assim peço que orem por minha familia,pelo meu esposo em especial que esta afastado do SENHOR,que DEUS os abençoe...

celda disse...

Pr.Adilso,essa semana teve um debate na tv,sobre casamento homossexual,dois homens dizem serem pastores e são casados,debatendo com outros pastores,é triste saber que pessoas usam nome de DEUS para se promover e o pior é que outras pessoas ainda acreditam,lembrei-me logo do sr, e de como ficaria triste se estivesse assistindo aquilo,realmente não sei se o povo de hoje perece por falta de conhecimento ou por não quere conhecer e aceitar aquilo que esta tão claro pra quem quer v,ta ai uma dica sobre um assunto a ser mostrado no blog,fiq com DEUS...

paula09martins disse...

pr;Adilso,vou ainda essa semana para Ipatinga c/Damielso,iremos passar toda a safra de abacaxi lá se assim DEUS permitir,escrevi para pedir que esteje orando por nós...abraço fiq na paz..CELDA